Fé e luta

Para quem perdeu tudo ou quase tudo, a fé é o fio que sustenta a esperança. No longo caminho de destruição causado pelo crime, a religiosidade é plural, mas é a fé que escora a força para lutar pelos direitos violados.

É questão de justiça, sim
Já se passaram quatro anos, 1.460 dias e 35.040 horas que a vida dos(as) atingidos(as) se transformou em uma rotina sufocante de reuniões, audiências, comissões, negociações e denúncias em busca de reparação…
Muitas sirenes para pouca orientação

Como em grande parte do território mineiro, os moradores de Congonhas e de Macacos convivem com a insegurança da mineração e com o medo de um novo rompimento de barragem.

Os trilhos do crime
No dia 25 de janeiro de 2018, o crime se repetiu. De propriedade da Vale, a barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, rompeu. 252 pessoas foram mortas e 18…

COMO ESTÁ O

REASSENTAMENTO?

Cartas de Acaiaca
Estudantes da Escola Estadual Professor Martins, no município de Acaiaca, nos enviaram cartas para contar como enxergam as transformações na vida dos(as) atingidos(as) pelo rompimento da Barragem de Fundão. O município de…
Linha do tempo: quatro anos de luta
São quatro anos de resistência diante de um crime sem precedentes. Nesse período, as pessoas atingidas pela barragem de rejeitos da Samarco em Mariana/MG obtiveram muitas conquistas que não podem ser esquecidas.…

FOTOGRAFIA

REPORTAGEM ESPECIAL

COLUNAS

Em Papo de Cumadres, Sérgio Papagaio traz a prosa entre duas senhoras atingidas pela tragédia socioambiental
Em Direito de Entender, o promotor Guilherme Meneghin explica quais são os direitos das comunidades atingidas e esclarece quais são as obrigações por parte das mineradoras envolvidas

VÍDEO

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend