Moradia

O trauma da reconstrução

Após constantes problemas com as obras, atingidos(as) conseguem, a partir de reivindicações, a formação de uma equipe técnica para acompanhar o processo de construção e de reforma das casas em Barra Longa.

Em quatro anos, um tijolo

Às vésperas de completar quatro anos do rompimento da barragem da Samarco/Vale/BHP Billiton, a Fundação/Samarco comemora a colocação do primeiro tijolo da primeira casa do reassentamento de Bento Rodrigues, em Lavoura. Após anos de divergências e de projetos malfeitos pela Fundação, o marco evidencia que o momento não é de comemoração, e sim de luta pelos próximos passos nas obras do novo Bento.

73 Compartilhamentos

Atingidos(as) antes do rompimento | Início

Nesta edição, o Jornal A SIRENE foi até as comunidades de Barão de Cocais e Antônio Pereira entender a realidade dessas pessoas que sofrem com o risco de rompimento de barragens e o descaso da mineradora Vale. A empresa atua de forma irresponsável ao deixar os(as) moradores(as) desinformados(as). Essas comunidades são atingidas antes de qualquer rompimento porque suas principais preocupações são causadas pela Vale.

39 Compartilhamentos

Um problema que nunca tivemos

Com a chegada das empresas enviadas pela Renova/Samarco, e de suas atividades de manejo de rejeito, o dia a dia de Rio Doce foi modificado. Os(as) moradores(as) convivem com danos nas estruturas de suas casas, causados pelo trânsito intenso de veículos pesados no município.

2 Compartilhamentos

Casas em risco, nossas vidas também

Os moradores de Barra Longa denunciam o aparecimento de trincas e rachaduras em suas casas desde o rompimento de Fundão. Laudos da própria Renova/Samarco apontam problemas em 98 casas, porém, mais uma vez, a fundação/empresa alega que os abalos nas estruturas não tem relação com a tragédia/crime

2 Compartilhamentos

Projetos dos arquitetos ou das famílias atingidas?

Parte da comunidade de Bento Rodrigues e da Asessoria Técnica dos Atingidos têm medo de que a Renova/Samarco utilize da angústia das famílias, que já esperam há mais de 2 anos e 8 meses, para impor propostas que sejam dos arquitetos e não dos próprios moradores

38 Compartilhamentos

Recriar as esperanças em um novo passo

Com a instalação do canteiro de obras no terreno de Lavoura, cresce a necessidade da comunidade se apropriar cada vez mais do lugar que decidiram reconstruir suas vidas, ainda na tentativa de planejar moradias adequadas aos seus costumes

Nossa água: de onde vem e para onde vai?

Na tentativa de avançar nas discussões sobre o reassentamento de Paracatu, a comunidade tem pressionado a Fundação Renova/Samarco por uma série de respostas sobre o abastecimento de água e o tratamento do esgoto em Lucila

6 Compartilhamentos
CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend