Moradia

Um problema que nunca tivemos

Com a chegada das empresas enviadas pela Renova/Samarco, e de suas atividades de manejo de rejeito, o dia a dia de Rio Doce foi modificado. Os(as) moradores(as) convivem com danos nas estruturas de suas casas, causados pelo trânsito intenso de veículos pesados no município.

2 Compartilhamentos

Casas em risco, nossas vidas também

Os moradores de Barra Longa denunciam o aparecimento de trincas e rachaduras em suas casas desde o rompimento de Fundão. Laudos da própria Renova/Samarco apontam problemas em 98 casas, porém, mais uma vez, a fundação/empresa alega que os abalos nas estruturas não tem relação com a tragédia/crime

2 Compartilhamentos

Projetos dos arquitetos ou das famílias atingidas?

Parte da comunidade de Bento Rodrigues e da Asessoria Técnica dos Atingidos têm medo de que a Renova/Samarco utilize da angústia das famílias, que já esperam há mais de 2 anos e 8 meses, para impor propostas que sejam dos arquitetos e não dos próprios moradores

37 Compartilhamentos

Recriar as esperanças em um novo passo

Com a instalação do canteiro de obras no terreno de Lavoura, cresce a necessidade da comunidade se apropriar cada vez mais do lugar que decidiram reconstruir suas vidas, ainda na tentativa de planejar moradias adequadas aos seus costumes

Nossa água: de onde vem e para onde vai?

Na tentativa de avançar nas discussões sobre o reassentamento de Paracatu, a comunidade tem pressionado a Fundação Renova/Samarco por uma série de respostas sobre o abastecimento de água e o tratamento do esgoto em Lucila

6 Compartilhamentos

Vai reassentar Paracatu, mas como?

O processo do reassentamento de Paracatu ainda é motivo dúvidas entre os(as) atingidos(as). A comunidade exige da Fundação Renova/Samarco/Vale e BHP transparência, participação e agilidade nas decisões que, até hoje, continuam no vai e vem de rascunhos e estudos sem fim

9 Compartilhamentos

Uma visita à Barra Longa

Enquanto os atingidos de Mariana discutem os caminhos para as novas comunidades, os moradores de Barra Longa já convivem com a má qualidade das reformas e das reconstruções feitas pela Fundação Renova/empresas

7 Compartilhamentos

Por que os atingidos estão construindo diretrizes para o reassentamento?

Após dois anos do crime, as empresas nada fizeram para garantir o reassentamento das famílias, com condições dignas, seguindo as necessidades principais dos moradores. E é por isso que, agora, os próprios atingidos correm contra o tempo para documentar, em mais de 80 orientações, as diretrizes para o reassentamento

6 Compartilhamentos

Viver inseguro

Enquanto lutam pelo direito à reparação do crime socioambiental, moradores que ainda vivem nas comunidades atingidas lidam com a desconfiança e a angústia diária de viver no rastro da lama

1 Compartilhamentos
CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend