A fé em Antônio

O dia de Santo Antônio faz parte das celebrações das festa juninas, assim como os dias de São João e São Pedro. Da mesma maneira que a fé é tida como um símbolo importante da luta e da resistência nas comunidades atingidas, os momentos de alegria e de partilha proporcionados pelas comemorações juninas são parte da tradição e do amor que os une nos territórios. A alegria de reunir famílias e amigos para as rezas, danças e brincadeiras, recheadas de comidas e bebidas típicas, deixou saudade. Neste ano, devido à pandemia, os(as) atingidos(as) lidam com celebrações virtuais e a saudade do encontro.

Por Maria de Fátima Santos Tavares (Fatinha), Maria Geralda, José de Felix

Com o apoio de Beatriz Ribeiro e Júlia Militão

Aqui a festa de Santo Antônio é na casa do Antônio (Toninho) e da Fatinha. No dia 13 de junho, tem uma fogueira muito legal. É uma festa de tradição, porque o pai dele fazia. O pai dele faleceu e ele continua fazendo a festa do mesmo jeito. Tem as rezas de Santo Antônio, tem a fogueira, tem quadrilha, tem comida à vontade, tem quentão, bebida quente de todo tipo… Tudo de graça. Eles fazem essa festa todo ano, é uma festa linda. Tem show ao vivo, eles também trazem cantores que estão acostumados a cantar na região. É uma festa muito boa, muito bacana mesmo e é a tradição da nossa comunidade.

Esse ano, infelizmente, nós não tivemos por causa do distanciamento social. Mas sempre, todo ano que fazemos, é muito boa, junta muita gente.

José de Félix, morador de Ponte do Gama

A festa do nosso padroeiro Santo Antônio traz, pra nós da comunidade de Paracatu, um significado muito bonito, comemoramos sempre com muita animação, com quadrilha, canjica, pipoca, quentão… É uma festa de muita animação. Neste ano, por causa da pandemia, a gente não teve como celebrar da forma que sempre foi celebrada. Por causa da pandemia, a gente entendeu que, neste momento que estamos vivendo, não daria pra acontecer, mas eu não deixei que passasse em branco. 

No dia 13, foi celebrada uma missa, em homenagem ao nosso padroeiro Santo Antônio, transmitida no Facebook, pelo padre Harley Lima. Tivemos esse momento de celebração com o nosso padroeiro, dando vivas a ele, e eu distribuí umas balinhas. Enfim, a gente encerrou assim o nosso momento de homenagem ao nosso padroeiro.

É uma festa muito importante pra nós. Eu, como coordenadora da igreja, não podia deixar passar em branco. Esse ano a gente teve até saudade do ano passado, pela animação da festa que aconteceu. 

Maria Geralda, moradora de Paracatu de Baixo

A Reza de Santo Antônio é uma tradição da família do meu marido. Está na família há muitos anos, só com os pais dele fez 50 anos. Esse ano, por causa do coronavírus, não aconteceu o encontro de família e amigos, mas a reza de Santo Antônio, pra nós, é devoção de muita fé e agradecimento. 

Ela era feita na casa do avô do meu marido, quando o pai dele nasceu, no dia de Santo Antônio. O avô colocou o nome de Antônio e a reza continuou até o pai dele se casar. O pai dele, então, passou a reza pra ele, que continuou com a ajuda e o apoio da mãe, dona Gertrudes. Eles faziam a reza todos os anos, não importava onde ela estava morando, ela não deixava de se reunir com a família pra reza.

O senhor Antônio mais dona Gertrudes passaram essa devoção para os filhos, que cresceram juntos na fé e devoção com Santo Antônio, e eles estão passando para os netos, que também gostam da reza. Quando nos mudamos aqui pro Gama, em 2011, a reza passou a ser aqui em casa. Eu aprendi a ser devota de Santo Antônio com eles. Aqui na minha casa, a reza está acontecendo há nove anos.

Os netos ficam mais felizes quando está chegando o dia da reza da fogueira  de Santo Antônio do que no Natal. No dia, fazemos uma bela fogueira, quentão, canjica, rezamos as orações tradicionais do dia, levantamos o mastro com a bandeira de Santo Antônio e é só alegria. 

Maria de Fátima Santos Tavares (Fatinha), moradora de Ponte do Gama

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend