Festa do Menino Jesus: fé e alegria

Música, devoção e brincadeiras são presentes na Festa do Menino Jesus, uma tradição em Paracatu de Baixo que foi passada de geração a geração. O festejo acontece nos meses de setembro, com uma procissão da bandeira saindo da casa de uma família devota, acompanhada pela Folia de Santo Reis de Paracatu. Nem mesmo o rompimento da barragem de Fundão, de responsabilidade da Samarco/Vale/BHP Billiton, conseguiu parar esse momento de fé. Anualmente, os moradores devotos retornavam ao território para poder celebrar a Festa do Menino Jesus. Com a pandemia de Covid-19, em 2020, os(as) fiéis tiveram que adaptar a Festa do Menino Jesus ao momento em que vivemos.

Por Maria Geralda Oliveira da Silva

Com o apoio de Wigde Arcangelo

Organizo a Festa do Menino Jesus há muitos anos, nasci e cresci participando da festa. Como meu pai sempre esteve na frente da festa, eu ajudo a organizar desde jovem. O meu pai é o coordenador da Folia de Santos Reis, uma das principais atrações da celebração, e também é quem coordena a festa com a ajuda da comunidade. A Festa do Menino Jesus acontece na comunidade há mais de 50 anos. Eu me sinto muito bem em ajudar a organizar essa festa, que já vem de geração a geração na minha família, eu me sinto feliz. É uma coisa que meu pai gosta e que eu também gosto.

A festa celebra o nascimento de Jesus e é tradição da comunidade, significa ter a fé praticada. Celebrar o renascimento de Jesus é acender a fé que reside dentro de mim, a união das pessoas para fazerem acontecer a festa é uma das coisas que eu mais gosto.

O momento que mais me marcou foi o ano de 2016, pois tivemos que improvisar as coisas. A festa teve que acontecer fora da igreja e não conseguimos fazer como fazíamos há anos. A falta das pessoas da comunidade na festa, a sensação de tristeza de não podermos fazê-la acontecer como queríamos, e o cenário devastador que a barragem deixou em nossa comunidade: pela primeira vez, estávamos ali de uma forma diferente, com aquele cenário que nos marcará para sempre.

Este ano houve o festejo, porém, novamente de uma forma diferente. A missa foi celebrada em Monsenhor Horta, a nossa paróquia, e foi transmitida para a comunidade pelo Facebook. No sábado, eu e minha família fizemos oração do terço, levantamos o mastro e a bandeira lá na comunidade. Também fizemos a apresentação da Folia com o meu pai, que é coordenador, com algumas pessoas da minha família, com  todo cuidado possível por causa da pandemia.

Maria Geralda Oliveira da Silva, moradora de Paracatu de Baixo

Procissão da Festa do Menino Jesus, em setembro de 2019.
As cores da Festa do Menino Jesus, realizada em setembro de 2019, refletem no instrumento da banda que participou da celebração.

No meio da Folia de Santos Reis, uma figura chama atenção: um palhaço, com máscara de macaco, que brinca com os devotos e corre atrás das crianças. Por trás da máscara está o Zé Nestor, o responsável por alegrar os foliões.

 Zé Nestor faz graça com as pessoas ao seu redor, na Festa do Menino Jesus, em 2019.

O meu pai, José Patrocínio de Oliveira, o Zezinho, quando conheceu a Folia de Reis que havia na comunidade, ela já trazia o palhaço. Então, a festa do Menino Jesus vem trazendo folia e o palhaço, o Zé Nestor participa fantasiado de palhaço. Ele veio por meio de um senhor que gostava da folia e, com isso, o Zé passou a participar  fazendo o papel do palhaço, estava garotinho e nos ajuda até hoje. Ele é um grande  amigo da família hoje em dia.

O Nestor gosta da folia, de fantasiar de palhaço, brincar com as crianças… É um carinho muito bonito que ele tem. A criançada gosta, é muita brincadeira, o palhaço corre atrás das crianças… A presença dele é muito legal. 

Maria Geralda Oliveira da Silva, moradora de Paracatu de Baixo

As crianças se divertem correndo do Zé Nestor, em setembro de 2019.
Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend