Jornal A SIRENE participa do programa Encontro com Fátima Bernardes nesta quinta

(Foto: Lucas de Godoy/Jornal A Sirene)

Nesta quinta-feira, dia 1 de março, a jornalista Fátima Bernardes​, apresentadora do programa Encontro,​ receberá atingidos da cidade de Mariana para uma conversa sobre o tema “Resiliência ​pós tragédia”.

O desastre ocorrido em Mariana no dia 05 de novembro de 2015 será representado por Mônica Santos, ​marianense e ​atingida de Bento Rodrigues, ​que ​estará no palco para contar sobre sua luta pessoal e coletiva. Mônica é integrante do ​Conselho Editorial do ​Jornal A SIRENE e, após a vivência do desastre, ingressou no curso de Direito da Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac). Segundo ela, para “lutar pelos seus direitos e pelos direitos d​e outras pessoas”.

​Também estará presente, como convidado e integrante da plateia do programa, ​Milton Sena, atingido de Ponte do Gama, editor-chefe do jornal e responsável pela criação da Feira Noturna de Mariana – iniciativa promovida para a comercialização de produtos dos próprios atingidos e de comerciantes locais, além de promover lazer para a população da cidade.

A apresentadora Fátima Bernardes receberá de presente um kit com todas as edições do Jornal A SIRENE e será apresentado, durante o programa, diversas edições do jornal, incluindo o número zero – que marcou o início da circulação da publicação.

Também participa​m​ da atração, a atriz Mariana Ximenes, que, neste mês de fevereiro, protagonizou a campanha “Não esqueça Mariana”, e vítimas de outras tragédias, como a queda do avião que transportava o time do Chapecoense no final de 2016. ​

O programa será transmitido ao vivo, às 10h40​, pela Rede Globo.

Sobre o jornal

​​O Jornal A SIRENE atua​ ​desde fevereiro de 2016 no contexto da comunicação dos atingidos pela barragem de Fundão de Mariana e Barra Longa​, garantindo voz ​à realidade e aos​ pleitos das vítimas​ do crime e acompanha​ndo​ o cotidiano da reparação socioambiental dos danos provocados pelo rompimento da barragem de Fundão (responsabilidade das empresas Samarco, Vale e BH​P​ Billinton).

O jornal aborda, sobretudo, aspectos ligados às memórias dos atingidos, tanto na dimensão da perda, quanto da reconstrução pós-desastre. Preocupa-se com a narração das histórias de vida, das dificuldades e dos recursos de sobrevivência que integram a vida de milhares atingidos de Mariana e Barra Longa​, valorizando o relato em primeira pessoa, os saberes populares, a forma própria com que cada vítima elabora o ​desastre.​

COMENTE

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend