Contaminação nas mineradoras não especificadas no boletim de saúde

Em menos de 15 dias, a Prefeitura Municipal de Mariana mudou três vezes a forma de apresentar dados sobre a contaminação pela Covid-19. No dia 21 de maio, a prefeitura paralisou as obras dos reassentamentos de Bento Rodrigues e de Paracatu, após denúncias de que funcionários contaminados estariam trabalhando nas áreas. 

No dia seguinte, 22 de maio, foi divulgado o boletim da saúde constatando que 21 casos confirmados eram de funcionários da Vale, Renova e terceirizadas. Um novo modelo de divulgação dos dados apareceu no dia 25 de maio, dessa vez, a expressão “setor privado” substituiu os nomes da mineradora e das empresas vinculadas a ela. Já em 1º de junho, mesmo dia em que os comércios iniciaram a retomada na cidade, o boletim de saúde deixou de informar os números de contaminação do setor privado. 

Questionamos à Prefeitura Municipal de Mariana os números de casos do setor privado na cidade, segundo a Secretaria de Saúde são 185 pessoas do setor privado contaminadas, até o dia 04 de junho, mais da metade dos 328 casos desse dia. Esses números representam trabalhadores(as) da Vale, Samarco,  Renova, terceirizadas e empresas que arcaram com os exames dos(as) próprios(as) funcionários(as). Segundo a Secretaria de Saúde, a mudança no boletim ocorreu porque “o município iniciou a testagem dos funcionários das empresas que tiveram o plano de ação de atividades aprovado”, diz. 

A divulgação dessas informações, quando feita da forma mais clara possível, permite analisar a eficácia das ações realizadas pela administração pública diante das mineradora, Renova e empresas terceirizadas. É um direito da população fiscalizar e monitorar as ações tomadas no controle da propagação da Covid-19. As alterações ocorridas no boletim evitam que a população questione as ações do setor privado nesse momento. O poder político e econômico das mineradoras não pode isentá-las de prestarem contas para a opinião pública. 

Apenas com informações disponíveis, a imprensa e a comunidade poderão monitorar a forma como o setor tem cuidado da vida dos seus trabalhadores e as possíveis violações de direitos, bem como questionar as ações dos órgãos competentes diante dos desvios dessas empresas. A plena cidadania é exercida com informação, para isso, os poderes públicos precisam de transparência.

Boletim publicado dia 22/05
Boletim publicado dia 25/05
Boletim publicado dia 31/05
Boletim publicado dia 01/06
CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend