Aconteceu na reunião (março/2018)

O promotor Guilherme Meneghin (ao centro), realiza a intermediação entre os atingidos e os advogados das empresasna audiência do dia 27 de março, em Mariana. (Foto: Aline Lourenço/Divulgação)

Reunião sobre o Dique S4

16 de março, em Belo Horizonte

Guilherme Meneghin (Promotor da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Mariana / MG): O objetivo desta reunião é tratar do prazo para o descomissionamento do Dique S4, discutir o valor da indenização, a forma de negociação e a medição dos terrenos. Tentar resolver essas coisas e, se tudo der certo, não teremos necessidade de ação judicial.

Janaína Flores: Acho importante colocar também a questão das “negociações” que foram feitas no Hotel Muller, em que teve muito desrespeito, constrangimentos, principalmente com os idosos, acho que deveria ter um dano moral pra tudo isso.

Mauro da Silva: Primeiramente, doutor, é lamentável a atitude da empresa, mais uma vez. Ao fim da outra reunião, eu questionei se as empresas estariam aqui hoje e o representante da BHP foi enfático em dizer que a Samarco tinha toda autonomia para decidir com a gente. Eu insisti e perguntei se a gente ia trazer o assunto e se a gente já ia sair daqui com o assunto concluído. Vemos que isso não vai acontecer. Lamentável.

Genival Pascoal: Era para a empresa levar respostas concretas para nós, mas só foram advogados da Samarco que não sabiam nada do processo, melhor dizendo, nos fizeram de bobos.

Reunião da Comissão dos Atingidos(as) de Mariana – Cadastro

26 de março, em Mariana

Ana Paula Alves: (Coordenadora Geral do Cadastro):  O processo de cadastramento dos/as atingidos/as pela barragem de Fundão está acontecendo desde o dia 1o de fevereiro de 2018. Até o momento, 523 núcleos familiares concluíram a 1a etapa. A 2ª etapa do processo começou no dia 19 de fevereiro e, até o momento, 200 núcleos familiares já concluíram as oficinas de cartografia familiar, instrumento complementar ao formulário.

Coletiva de imprensa – Saúde de Barra Longa

27 de março, em Belo Horizonte

Após terem participado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Saúde e Sustentabilidade, iniciada no final do ano de 2016, da Universidade Federal de São Paulo (USP), 11 moradores da cidade de Barra Longa foram diagnosticados com níveis elevados de metais pesados no sangue.

Luciene: O resultado dos exames da minha filha também deu níquel elevado e contaminação por arsênio. Ela sente dores de cabeça, tem manchas na pele, tem febre, diarreia e falta de ar. Antes, minha filha não tinha estes problemas de saúde. Pedimos ajuda, nossas filhas estão precisando de tratamento e não temos condições de arcar com os gastos.

Simone: Quando a gente recebeu o laudo, constatando que ela está com alta taxa de níquel e o nível de zinco baixo, além do normal, nós tivemos que ir até São Paulo fazer outros exames. A fundação/empresas e a prefeitura viraram as costas pra ajudar a gente.

Leticia Oliveira (Coordenação do MAB): O nexo causal entre a contaminação e a lama não foi estudado, mas o que foi comprovado é que há uma contaminação. Deve haver novos estudos e nós lutamos por isso. Lutamos para que haja um diagnóstico mais claro da situação não só em Barra Longa mas em toda a bacia, para comprovar se o nexo causal tem a ver com o rompimento de Fundão e responsabilizar quem causou isso.

Audiência – Diretrizes do reassentamento

27 de março, em Mariana

Mais 21 orientações para o reassentamento das comunidades de Bento Rodrigues e Paracatu foram homologadas (veja aqui). Outras 46 já haviam sido pactuadas no último 6 de fevereiro. Restam ainda 12 diretrizes a serem discutidas em reunião extrajudicial que vai ocorrer no próximo dia 11 de abril, no Centro de Convenções de Mariana.

Rosária Frade: A gente precisa saber como vai ser a compensação pra quem tá recebendo um terreno com qualidade inferior ao que tinha. É importante discutir isso agora porque, por exemplo, se a compensação vai ser com mais “terras”, isso mexe no projeto do reassentamento. Eu, por exemplo, não tenho interesse no dinheiro e com outras pessoas também pode ser assim.

Samarco: Não temos condições de garantir a forma como isso vai ser feito agora, precisamos sentar e reavaliar. Vamos seguir para frente.

COMENTE

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend