Barra Longa: um eterno canteiro de obras

Foto: Sérgio Papagaio

Consebida e Clemilda estão desalentadas com as obras que a Samarco vem desenvolvendo em Barra Longa há três anos e parecem ter começado hoje.

– Cumadre Clemilda, por que as obras que a Samarcu começo dispois que a barrage istorô e a Renova continuô, ainda num terminô?
– Pois é, eu achu que ês num qué, se quisesse já tava tudu prontu, oia lá em Bentu pra fazer u diki S4 foi num momentu, demorô mais u guvernadô assiná du que u diki ês terminá.
– A rua primeru de Janeru ês tão cunsertanu nestes três anos inteiru, a gente passa pra lá e ês tá arrumanu, nós pensa que ta tudu acabanu ês ta só começanu.
– As rua que ês arruma hoje amanhã já ta isburacanu.
– Sê lembra daquela casa verde na beira du riu carmu na praçinha?
– Aquela que foi pur eles atingida e dispois demolida?
– Aquela mês, nu lugar dela uma cerca de pau ês fez pra terra acomodá, plantaru grama ficô até bacana, mas na primeira cheia du rio quandu ês já tinha acabadu eu fui oiá u lugá ta todu rachadu.
– Eu ficu a me perguntá será que a fundação vei pra arrumá ou pra trapaiá?
– Sei não, só sei que se arruma um muncadim trapaia um montão, a verdade eu vô falá, é que ês num sabe arrumá uma coisa sem a outra trapaiá.

A pedido do autor, este texto não passou por edição ou revisão. 

COMENTE

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend