Papo de cumadres: a cooptação

Consebida e Clemilda estão preocupadas com os companheiros e as companheiras que pela Renova estão sendo cooptados e cooptadas.

Por Sérgio Papagaio

– Cumadre Clemilda eu tô muitu percupada com nossa cumpanherada que tá sendu cuptada.

– Pois cumadi minina de Deus, num queru ser mar intindida nessa prosa marvada, eu tô mês é aliviada, pois as pessa que foram disviada já estava tudu istragada. 

–  Cumadre eu cá sô muito religiosa, num queru te contá uma prosa, mas achu issu muitu temerosu, ês é atingidu e a renova tá atinginu ês tudu di novu.

– Dissu cê tem razão, a Renova pega us fracu e us de pocu coração, que num sabi qui  ninhum ser humanu vence sozinhu, sem pricisá de união.

– Ês pricisa de ajuda, e nois pricisa ajudá, dandu ês um creditu pois Jesus  cristu disse, é u duente que pricisa de renediu.

– Cumadi ninha fia, vê si ocê intende esta minha agunia e as vês a minha grosseria, duente nos tudu tá e só tem um remédiu pra nos tudu miorá, primeru nois com a Renova pricisa acabá e isperá que a justiça pare de fingi de cega neste plantel e vorte a fazê seu papel.

– Cumadre minha amiga du peitu, purissu que é bão cunvelsá, cê já mi fez vê a luta de um outru jeitu, e a maneira celta de tudu istu remediá, é só tirá a renova du pleitu, e levá u istadu nu oculista pamode ele e a justiça, com as graças de nosso sinhô Jesus, possa vortá a inchelgá.

COMENTE

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend