Papo de Cumadres: cinco anos de uma maldição que parece não ter solução

Consebida e Clemilda estão anestesiadas com a chegada dos cinco anos do rompimento da barragem de fundão, com a quantidade de crimes cometidos, até agora sem solução.

Por Sérgio Papagaio

– Clemilda minha fia hoje faz 05 anu que a barrage foi istoranu, parece que foi onte ainda mais se nois oiá para a reparação, pru reassentamentu, pras casas tricada, e pra toda gente que foi indenizada, dá contá nus dedu de uma mão.

– Pois é Consebida minha cumade querida, us trem que ês já fez cabe na parma de uma mão mas us que ês ainda tem que fazê dá pra inchê um monte de caminhão.

– Minha tristeza cumadre é que nossa gente já vai morenu sem vê reparação, 05 anu pra um jove é até isperiência, mas pra muitus veiu é u restu de uma existência.

– Pois intão preste atenção, estes 05 anu du rompimentu de fundão marcadu por tristeza i distrução não só dus trem de valor matriá mais de tudu que em nossus coração a vida toda nois consiguiu gaudá.

– Cumadre minina de Deus preste muita atenção nu que agora vô te falá, pru carsa du rumpimentu é tanta genti nossa que morre que num dá tempu nem de chorá, eu tenhu um medu danadu que pru carsa desta daneira a gente comece achá a molte uma coisa curriquera.

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend