Tag: Paracatu de Baixo

Entre o cansaço e a esperança

Se pudéssemos nos encontrar com quem éramos há três anos, o que será que diríamos dessa trajetória? Como contaríamos sobre o que (não) tem sido feito nesse tempo? Quais recados gostaríamos de dar a nós mesmos?

8 Compartilhamentos

Mãos da esperança

No mês especial das crianças, realizamos uma atividade educativa com os(as) alunos(as) das escolas de Bento e Paracatu de Baixo. Dessa brincadeira nasceu um ensaio fotográfico que retrata a esperança das crianças em meio à luta dos(as) atingidos(as). Confira.

1 Compartilhamentos

Como era ser criança lá

Neste Dia das Crianças, voltamos no tempo e lembramos como foi nossa infância nas comunidades em que crescemos. Fazemos isso para preservar aquele tempo, para que outras pessoas conheçam nossas histórias e para que nossa memória não se perca por culpa das empresas (Samarco/Vale/BHP Billiton).

1 Compartilhamentos

O céu de Paracatu

Entre os bens perdidos, há aqueles que não podemos “tocar”. A lama veio e levou com ela a sensação de estar em casa e viver as belezas da nossa terra, do nosso estilo de vida e da natureza que nos cercava. O que se paga pela saudade?

3 Compartilhamentos

Indenizar a nossa história

“Qual é o valor do rio que eu perdi, a casa onde nasci e fui criado? Qual o preço da mandioca que minhas terras pararam de produzir?” Em mais uma das fases do processo de reparação, os(as) atingidos(as) de Mariana se mobilizam para a construção de sua Matriz de Danos.

2 Compartilhamentos

Saberes que continuam: O pastel de Dona Laura

Trazemos, a partir deste mês, uma série de histórias que dizem sobre os saberes de moradores das comunidades atingidas e suas relações com as tradições culturais desses lugares. Desta vez mostramos Dona Laura, que dedicou mais de 50 anos ao pastel.

3 Compartilhamentos

Vai, Paraca!

Quase dois anos após a lama, o Paracatu F.C. continua sem local apropriado para treino e sem o suporte dos responsáveis pelo crime.

CADASTRE-SE NA NEWSLETTER

Send this to a friend