Papo de cumadres: mais um ato da peça contaminação

Consebida e Clemilda estão apavoradas por saber que toda a bacia pode estar contaminada. Mariana, Barra Longa e Linhares já estão confirmadas.

Por Sérgio Papagaio

– Cumadre Clemilda nunca na vida minha dispois da barrage istorada que fiquei tão apavorada,

– Cumadre minha fia me fale desta agunia eu sei que ni mim  oçê confia,

– Cê vil falá da tar contaminação

– Vi sim, mais nunsei u que é istu não, se oçê sabe me dê logu uma ispricação.

– Cumadre minina de Deus, segura foute que lá vai u gorpe,  ta tudu cotaminadu com u tar metá pesadu conformi dissi a Dulce professora  lá da UFOP.

– Cruz ave Maria credu, deste terçu num intindi nem um mstério.

 – Intonse vô te ispricá dum geitu mais sério, u regeitu que desceu de Fundão fez nu seu caminho uma ispeci de pré ceminteriu, dexô a terra a água u peixe e u ar tudu contaminadu, nois vive hoje num lugar marvadu, parece aguelas cidade du Japão onde uma bomba na segunda guerra ês jogaru.

 – Se a terra tá contaminada e a água num dá pra bebê e as pranta num pode cumê, cumé que nois vai vivê, e u leite dus minim mamá cume que tá?

– Tá contaminadu também, nois de Barra Longa manda leite pra tanta população, então comu disse cumpadre Eder nois ta ixportanu é contaminação.

– Se u ar tá contaminadu com este tar metá pesadu se nois num respirá morre asfixiadu se respirá fica contaminadu, a qui distinu marvadu  só num é atigidu em Barra Longa quem num faz usu du ar pamode respirá

–  Foi istu que eu quis te falá,  e u istudu da Dulce e otrus tantus istudu veiu confilmá, tem até um que a renova pagô  que num consiguiu disminti aquilu que já era sabidu por este povu sufridu. Em Barra Longa,Mariana  e toda a bacia semos tudu atigidu.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]