O museu do crime

Dentre as estratégias de publicidade da Fundação Renova, uma tem localização central na cidade de Mariana e funciona como atração turística. Os(As) visitantes, quando saem, levam a sensação de que sabem o que se passa nas comunidades atingidas e de que a fundação/empresas estão reparando os danos. Nós, que estamos do outro lado e vivemos a realidade, sabemos que o casarão da Renova mente, assim como a fundação. 

Leia mais

O show midiático da tragédia

Quanto a fundação ilegítima e seus provedores (empresas mantenedoras) irão gastar com comunicação/publicidade/evento no reassentamento de Bento Rodrigues? A quem interessa a divulgação disso com peças publicitárias e em redes sociais patrocinadas para todo o país, Estados ou em seminários, fóruns e reuniões no exterior?

Leia mais

Um problema que nunca tivemos

Com a chegada das empresas enviadas pela Renova/Samarco, e de suas atividades de manejo de rejeito, o dia a dia de Rio Doce foi modificado. Os(as) moradores(as) convivem com danos nas estruturas de suas casas, causados pelo trânsito intenso de veículos pesados no município.

Leia mais

O que eles querem ver?

A Fundação Renova tem utilizado a reparação aos danos causados às vitimas como uma maneira de realizar propaganda de si mesma. Ao oferecer visitas aos terrenos das comunidades e expor maquetes do reassentamento, a Fundação cria o “turismo da desgraça”

Leia mais

Vai reassentar Paracatu, mas como?

O processo do reassentamento de Paracatu ainda é motivo dúvidas entre os(as) atingidos(as). A comunidade exige da Fundação Renova/Samarco/Vale e BHP transparência, participação e agilidade nas decisões que, até hoje, continuam no vai e vem de rascunhos e estudos sem fim

Leia mais

Uma visita à Barra Longa

Enquanto os atingidos de Mariana discutem os caminhos para as novas comunidades, os moradores de Barra Longa já convivem com a má qualidade das reformas e das reconstruções feitas pela Fundação Renova/empresas

Leia mais