O museu do crime

Dentre as estratégias de publicidade da Fundação Renova, uma tem localização central na cidade de Mariana e funciona como atração turística. Os(As) visitantes, quando saem, levam a sensação de que sabem o que se passa nas comunidades atingidas e de que a fundação/empresas estão reparando os danos. Nós, que estamos do outro lado e vivemos a realidade, sabemos que o casarão da Renova mente, assim como a fundação. 

Leia mais

Atingidos(as) antes do rompimento | Início

Nesta edição, o Jornal A SIRENE foi até as comunidades de Barão de Cocais e Antônio Pereira entender a realidade dessas pessoas que sofrem com o risco de rompimento de barragens e o descaso da mineradora Vale. A empresa atua de forma irresponsável ao deixar os(as) moradores(as) desinformados(as). Essas comunidades são atingidas antes de qualquer rompimento porque suas principais preocupações são causadas pela Vale.

Leia mais

As empresas escondem tudo de nós | “Atingidos(as) antes do rompimento” Parte 2

Nesta edição, o Jornal A SIRENE foi até as comunidades de Barão de Cocais e Antônio Pereira entender a realidade dessas pessoas que sofrem com o risco de rompimento de barragens e o descaso da mineradora Vale. A empresa atua de forma irresponsável ao deixar os(as) moradores(as) desinformados(as). Essas comunidades são atingidas antes de qualquer rompimento porque suas principais preocupações são causadas pela Vale.

Leia mais

Editorial/Fevereiro 2019

No dia 5 de fevereiro de 2016, o Jornal A SIRENE foi lançado na praça da Sé, em Mariana. Este veículo nasceu ali para relembrar e romper o silêncio que antecedeu o crime de Fundão. Hoje, soar a nossa sirene a cada mês é mais do que um protesto diante da negligência da mineradora Samarco em não possuir um alerta para as comunidades próximas às barragens.

Leia mais

Editorial (novembro/2018)

Nesta edição, quando se completam três anos do desastre-crime, reunimos as histórias, os relatos e as memórias daqueles e daquelas que, mesmo com as dificuldades, ainda resistem.

Leia mais

Atividades marcam os três anos do rompimento da barragem de Fundão

O rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, completou três anos nessa segunda-feira (5). Atos políticos e simbólicos foram realizados nos últimos cinco dias, com a presença dos(as) atingidos(as), para lembrar a data em que a enxurrada de lama da mineradora Samarco matou 19 pessoas e provocou a maior desastre-crime socioambiental do país.

Leia mais

Estamos juntos, não importa a distância

Viajamos até a cidade de Congonhas e chegamos bem próximos da Barragem Casa de Pedra, que ameaça a vida de inúmeras famílias. Decidimos que havia chegado a hora de compartilhar nossas experiências e medos com aqueles que talvez ainda não saibam, mas já possuem uma luta a cumprir

Leia mais